Peritonite Infecciosa Felina: Saiba mais sobre a devastadora “PIF”


A Peritonite infecciosa dos Felinos, mais conhecida como PIF, é uma doença que quase todos os donos de gatos já ouviram falar e que sentem até calafrios ao ouvirem este nome. Isto porque a PIF pode ser considerada a doença mais frustrante no mundo dos felinos.

O diagnóstico é difícil e impreciso, o tratamento ainda inexistente e acomete principalmente gatos jovens, com menos de dois anos de idade.

A doença é causada por um vírus chamado coronavírus, sendo que este é classificado em dois: o coronavírus entérico e o coronavírus da PIF.

O coronavírus entérico, altamente transmissível entre os gatos, é responsável por causar apenas uma diarreia passageira e 90% dos gatos do mundo são portadores!

O coronavírus da PIF é quando o coronavírus entérico sofre uma mutação dentro do gato, na dependência do estado imunológico deste animal.

Portanto, a PIF não é uma doença transmissível, já que o vírus mutado não é capaz de passar de um gato para o outro. Isso só ocorre dentro do próprio gato.

E o que desencadeia essa mutação?

Qualquer fator estressante para o animal como: mudança de casa, entrada de novos animais no ambiente, uma cirurgia, vacinação…

O estresse faz com que a imunidade do gato fique mais baixa facilitando a alta multiplicação do vírus e sua mutação.

Com que idade os gatos são acometidos pela PIF?

Como essa mutação depende de uma imunidade fraca, os gatos jovens é que são os acometidos.

Gatos idosos também podem desenvolver a doença, mas esses casos são extremamente raros e quando presentes geralmente são associados à FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina) e FELV (Vírus da Leucemia Felina) positivos.

Quais os sintomas da PIF?

Os sintomas da PIF são extremamente variados: febre, perda de apetite, apatia, perda de peso ou dificuldade em ganhar peso, alterações em olhos, alterações neurológicas como convulsões e dificuldade de se locomover, diarreia, líquidos em tórax ou abdômen (o que causa dificuldade respiratória e abdômen distendido) entre vários outros sintomas já que a doença pode acometer qualquer órgão. O que faz a doença ser de difícil reconhecimento.

Como diagnosticar a PIF?

Não existe um diagnóstico preciso, pois NENHUM teste até o momento consegue diferenciar qual dos dois tipos de coronavírus o gato têm: o da PIF ou entérico (este último que é muito comum e não causa grandes problemas, como já foi comentado).

Por isso, o veterinário deve correlacionar todos os sintomas junto às alterações nos exames de sangue e de imagem para poder suspeitar desta doença.

Infelizmente, a confirmação é só por meio de necropsia.

Qual o tratamento da PIF?

A doença também não tem cura.

Alguns tratamentos podem ser realizados e prescritos com o objetivo de dar maior conforto ao gatinho e tentar prolongar os dias com qualidade de vida, mas isso não costuma se estender por mais de algumas semanas ou meses (isso também vai depender do estado de saúde e imunológico do gatinho).

Alem disso, não existe vacina. O ideal é tentar evitar aglomerações de animais, mantê-los sempre com areias e ambientes limpos, e na medida do possível evitar o estresse nos bichanos.

Muitos pesquisadores em todo o mundo têm se dedicado a descobrir como realizar um diagnóstico preciso e o tratamento curativo da PIF.

Esperamos em breve termos melhores notícias a respeito desta triste doença que acomete nossos filhotes felinos.


Autora do Artigo: Médica Veterinária Bruna Rodrigues Padin
Fanpage: http://www.facebook.com/especialistadefelinos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *