Otite em Cães: Como Identificar, Suspeitar e Prevenir!


Otite em cães é uma das doenças frequentes na rotina veterinária. Mas você sabe o que significa otite?

Na língua portuguesa, tudo que termina em “ite” tem inflamação, certo? Assim, artrite é inflamação da articulação, dermatite é inflamação da pele e otite é inflamação do ouvido.

Repare que inflamação quer dizer que tem mais sangue no local, pra combater alguma agressão.

Como acontece a otite em cães?

A pele que reveste o canal auditivo, quando sofre agressão, também inflama, enche de sangue e fica com cor avermelhada. E por causa disso, as condições da superfície do ouvido mudam (pH, temperatura etc), deixando os micro-organismos protetores aumentarem em quantidade, a ponto de causarem lesão e desconforto.

Quais são os tipos de otite em cães?

As agressões sofridas pelo ouvido do cão acabam gerando otite eczematosa (coça levemente, porque é só inflamação), otite fúngica (que coça muito) ou otite bacteriana (que além de coçar, dói e pode romper o tímpano, se não tratada a tempo).

Como identificar a otite em cães?

Se o seu cão esfrega a face nas coisas, coça a lateral do pescoço, sacode a cabeça, sente dor ao abrir a boca ou mastigar, ou apresenta muito cerúmen ou secreção em um, ou nos dois ouvidos, com frequência, você pode suspeitar de otite.

O que fazer se suspeitar de otite em cães?

Procure rapidamente um médico veterinário que goste de dermatologia e peça que ele faça um exame citológico dos ouvidos.

Para saber qual tipo de otite seu cão está apresentando e tratar com sucesso, não tem jeito: é preciso esse exame microscópico em dois momentos:

– na primeira consulta, para decidir qual medicação usar;

– e no último dia de tratamento, para ter certeza de que não há mais otite, mesmo que a melhora clínica seja visível (queremos matar todos os micro-organismos, pense na multirresistência, por exemplo).

Dica: Não faça economia com a repetição da citologia após o tratamento, ou poderá jogar fora todo o investimento de tempo e recurso, deixando que o problema melhore parcialmente e volte em algumas semanas.

Mas então, como prevenir a otite em cães?

Contrariando o que você cresceu escutando do mundo todo, não se preocupe com a água que cair no ouvido durante o banho!

Água nos ouvidos NÃO causa otite, assim como manga com leite também não faz mal, apesar do que a nossa avó dizia…

As principais agressões aos condutos auditivos são:

– Colocar pinça ou cotonete lá dentro para limpeza: porque mesmo com muito cuidado, machuca, você não vê e isso vira inflamação e infecção.

– Colocar pó ou líquido ou o que quer que seja lá dentro do conduto auditivo, sem orientação: ouvidos são autolimpantes! Você pode limpar por fora, mas não se coloca nada lá dentro sem o clínico pedir, porque se agredir a pele, vira otite, lembra?

– Colocar algodão dentro do ouvido: porque se esquecer molhado lá dentro algumas horas, vai deixar crescer as bactérias “do mal”, que adoram furar tímpano.

– Arrancar os pelos do ouvido: porque pode agredir o folículo piloso e virar otite. Se for preciso, peça que cortem os pelos, mas nunca arranque.

Seu pet com certeza agradece!

Autora do artigo: Médica Veterinária Márcia Lima

Blog: http://www.dermatocaoegato.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *