Obesidade em Cães e Gatos: Causas, Riscos e Tratamento!


A obesidade em cães e gatos é um dos problemas mais comuns e que acomete uma boa porcentagem dos pets atualmente.

Quais as causas da obesidade em cães e gatos?

As causas da obesidade em cães e gatos são bastante simples: os animais de estimação estão sendo alimentados demais e muito pouco exercitados.

Com relação à alimentação, vemos dois problemas gerais:

 – Um deles é quando os proprietários não seguem orientações de alimentação e tentam adivinhar qual é a quantidade certa ou tentam alimentar sob demanda, quando eles acham que seu animal de estimação está com fome.

– A segunda coisa que vemos é pessoas alimentando seus pets com alimentos humanos, a título de petiscos, como pães, biscoitos recheados, pizza e até sorvete. Isso provoca alergias, problemas gástricos e queda de pelos.

Mesmo os petiscos desenvolvidos especialmente para cães e gatos, devem ser consumidos com moderação, conforme as orientações da embalagem, assim como a ração.

Sedentarismo pode levar a obesidade em cães e gatos?

A resposta é sim! Com pessoas morando cada vez mais em apartamentos, os animais tem seu gasto energético reduzido. Proprietários que não praticam atividades físicas, que adoram ficar no sofá aos fins de semana acabam promovendo a obesidade de seus bichinhos que também ficarão inertes na casa.

A genética também pode predispor a obesidade em cães e gatos!

Algumas raças de cães tem predisposição para ganhar mais peso do que outras. Neste caso, a atenção com a alimentação deve ser redobrada e a carga de exercícios aumentada, desde filhote.

A castração pode aumentar as chances de obesidade em cães e gatos?

Sim! Cães e gatos castrados têm mais facilidade para engordar, devido à interrupção na produção hormonal. A solução é a mesma: alimentação controlada, com ração de baixas calorias, e exercícios diários.

Quais são os riscos da obesidade em cães e gatos?

O excesso de gordura afeta negativamente a saúde e a longevidade do seu animalzinho.

Cães e gatos obesos vivem um período de vida mais curto se comparado aos animais magros.

Atualmente, evidências científicas revelam que o tecido adiposo é biologicamente ativo, secretando hormônios inflamatórios e criando estresse oxidativo no tecido do corpo, que contribuem para muitas doenças.

Pensar na obesidade como uma condição inflamatória crônica de baixo nível é um novo paradigma. Um cão com excesso de peso ou gato tem uma predisposição a desenvolver uma série de problemas de saúde, incluindo diabetes, doenças articulares, ligamento e tendão dificuldades, bem como problemas respiratórios e cardíacos.

Sobrepeso em gatos pode até mesmo levar a problemas de pele pelo fato deles não serem capazes de limpar-se corretamente. Também aumentam os riscos de cálculos da bexiga urinária e complicações anestésicas.

Por outro lado, a obesidade pode ser um indicador de determinadas patologias como, hipotireoidismo, (disfunção da glândula tireóide), ou doença de Cushing.

Como saber se seu animalzinho está obeso?

A obesidade é diagnosticada principalmente verificando o peso corporal do seu pet ou marcando sua condição corporal (seu veterinário fará isso examinando o seu animalzinho, palpando suas costelas, área lombar, cauda e cabeça). Os resultados são então comparados com o padrão da raça.

Como tratar a obesidade em cães e gatos?

Para o animal que está acima do peso, o ideal é que ele consuma uma ração de calorias reduzidas.

Uma boa dica é dividir a porção diária em três refeições, pois isso ajuda a acelerar o metabolismo e a perder peso.

Para quem deseja oferecer uma dieta mais natural e caseira, é essencial buscar a orientação do veterinário, para que a alimentação seja corretamente balanceada.

Fazer dietas por conta própria é um grande risco, podendo provocar uma alteração metabólica prejudicial para o seu bichinho.

Por isso, deve-se sempre fazer a reeducação alimentar e condicionamento físico com um médico veterinário.

Atividade física pode ser realizada mesmo em casa com ajuda de brinquedos, que estimulam a movimentação dos animais. Para os felinos, vários mobilis estão à venda ou podem ser confeccionados pelo próprio proprietário.

Para um bom resultado, a melhor atividade física é o passeio ao ar livre, onde todas as áreas do corpo do seu animalzinho são estimuladas, em especial o sistema cardiovascular.

Uma boa dica é a contratação de pessoas que trabalham como passeadores de cães, uma solução para as pessoas que não tem tempo livre, devido ao corre-corre diário.  Mas se aos fins de semana isso for possível, é benéfico tanto para seu pet quanto para você.


Autora do artigo: Médica Veterinária Luciana Barroso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *