Micoplasmose Felina: A perigosa doença transmitida pelas pulgas!


A Micoplasmose felina é uma doença causada pela bactéria do gênero Mycoplasma sp e é conhecida popularmente por ser transmitida pela picada de pulgas infectadas.

Mas será que a Micoplasmose felina é somente transmitida pela pulga?

Não! Na verdade, a micoplasmose felina não é só transmitida pela picada deste parasita, existem outras formas de infecção, porém são menos frequentes.

A transmissão também pode ocorrer das seguintes formas:

– da mãe para os filhotes no momento da gestação;

– um gato contaminado pode transmitir para outros através de mordeduras ou arranhaduras durante as brigas;

– ou até mesmo durante um procedimento de transfusão de sangue contaminado

E todo gato está susceptível a ter Micoplasmose felina?

Sim! Mas a doença se faz mais comum em animais jovens, machos, não castrados e com acesso à rua, que são os fatores que os tornam mais suscetíveis às brigas.

Além disso, a micoplasmose felina ocorre com maior frequência também durante as estações mais quentes do ano, onde ocorre uma maior proliferação das pulgas.

Apesar disso, qualquer gato poder desenvolver a doença caso o sangue do animal tenha contato com a bactéria.

Como ocorre e quais são os sintomas da Micoplasmose felina?

O Micoplasma sp é responsável por infectar as células vermelhas do sangue (hemácias) do felino, o que acaba causando a destruição destas e assim resulta no seu principal sintoma: a anemia.

Outros sintomas comuns da doença são: prostração, apatia, falta de apetite e febre. De uma forma comum, os gatos podem apresentar também icterícia, que é quando a pele e as mucosas do gato ficam com a cor amarela.

A urina também pode ficar com uma coloração mais forte que o normal, com tons alaranjados.Em casos menos frequentes pode ocorrer artrite, uma inflamação das articulações que irá cursar com dores em uma ou mais patas, dificuldade para andar ou saltar. Alterações nos olhos também pode ser um sinal da doença.

No caso da anemia é importante ressaltar que em uma fase inicial os gatos podem se adaptar e esconder este sintoma, e apenas demonstrá-lo quando o quadro já estiver bastante grave, muitas vezes necessitando de uma transfusão sanguínea de urgência. A dificuldade de se encontrar bolsas de sangue felino de pronto acesso é um ponto que leva ao alto risco de vida nesses animais.

Qual o tratamento da Micoplasmose felina?

O tratamento da micoplasmose é relativamente simples e só é indicado nos casos em que o gato apresente sintomas.

A maioria dos felinos, com uma boa imunidade, pode conviver com o parasita sem nunca manifestar a doença, e nesses casos não é necessário o tratamento.

Isso porque mesmo após o tratamento eles se tornam cronicamente infectados, isto significa que não irão se livrar totalmente do parasita.

O objetivo do tratamento então consiste apenas em controlar a bactéria, para assim evitar os sintomas.

Quando necessário, o tratamento envolve antibiótico específico, corticoides e medicamentos para amenizar os sintomas. Em muitos casos, o paciente irá precisar de transfusão de sangue.

De uma forma geral, os gatos respondem bem ao tratamento quando são tratados rapidamente.

A principal dificuldade e risco está em tratar os gatos que apresentam deficiência do sistema imune.

Os gatos que são positivos para FELV (leucemia viral felina) por terem o sistema imunológico comprometido respondem fracamente aos antibióticos e o animal pode não conseguir controlar a doença adequadamente.

Nesses casos, será necessário um tratamento mais agressivo e um acompanhamento mais rigoroso.

Como diagnosticar a Micoplasmose felina?

O diagnóstico é simples e realizado pelo médico veterinário principalmente através de exames de sangue, como o hemograma.

A presença de anemia, dos pigmentos responsáveis pela icterícia e proteína alta são algumas características. O valor de plaquetas nessa enfermidade não é relevante.

No exame físico, além da febre é comum o veterinário detectar aumento do baço. Se o médico veterinário julgar necessário é possível utilizar testes mais específicos para detectar a bactéria no sangue.

E como prevenir a Micoplasmose felina?

Não existe vacina para prevenir a micoplasmose! A melhor forma de preveni-la é mantendo os gatos livre das pulgas com o uso de produtos específicos periodicamente, e o manejo seguro mantendo o gato castrado e confinado dentro de casa.

É importante lembrar que os gatos se intoxicam facilmente com muitos dos produtos antipulgas que são indicados para cães, sendo imprescindível que o medicamento seja indicado na bula para felinos e sejam sempre utilizados na dose correta.


Autora do Artigo: Médica Veterinária Bruna Rodrigues Padin
Fanpage: http://www.facebook.com/especialistadefelinos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *