Esporotricose: O que é e como evitá-la!


A Esporotricose é uma doença causada por um fungo que pode acometer animais e seres humanos.

Antigamente, era chamada de “Doença das Roseiras”. Isso porque esse fungo vive (em sua forma vegetativa) na terra, e as pessoas que lidavam com jardins e canteiros, principalmente de rosas, eventualmente se espetavam nos espinhos da planta e ao manusear a terra, acabavam se contaminando e desenvolvendo a doença.Tanto em animais como em seres humanos, os sintomas são muito parecidos.

Normalmente, aparece uma ferida próximo ao local da contaminação. Essa ferida geralmente coça, e vai se alastrando com o tempo.Pode acometer os gânglios linfáticos próximos à lesão e isso piora bastante o quadro.

O que costuma chamar a atenção é que nenhum “remedinho” que se aplique na ferida faz com que ela melhore. Porém, em seres humanos que estejam saudáveis, pode ocorrer a cura espontânea.

Atualmente, a Esporotricose tem se tornado um grande problema de saúde pública, principalmente na zona oeste do Município do Rio de Janeiro. Vou explicar o porquê:

Nos últimos anos, tivemos um aumento muito significativo de animais de rua. Como todos devem saber, os gatos têm por hábito defecar e urinar na terra ou areia e depois, enterrar esses excrementos com as patinhas.

Dessa forma, o fungo causador da Esporotricose se aloja embaixo das unhas desses animais. E ao brigarem entre si acabam disseminando a doença.Assim também ocorrem as contaminações entre gatos e cães e entre gatos e seres humanos.

Como podemos evitar a Esporotricose? 

Primeiramente, o conhecimento é essencial!

Já vimos como ocorre a contaminação e como a doença se apresenta de uma forma geral. Logo, o mais prudente é evitar que seu animalzinho saia para perambular na rua sem a sua supervisão. Assim, vamos evitar que ele entre em contato com outros animais que possam estar doentes.Se o seu gato tem o hábito de ir para a rua ou não usa a caixa de areia sanitária, tenha muito cuidado se ele lhe arranhar!

Caso isso ocorra, lave a ferida imediatamente com bastante água e sabão e aplique algum produto antisséptico que esteja acostumado. Mesmo assim, passe a observar a ferida para ver se vai cicatrizar normalmente. Se demorar a cicatrizar ou começar a aumentar, vá imediatamente a um posto de saúde e conte o que ocorreu. Isto é, considerando que seu pet está com a vacinação anti-rábica em dia!

– Nunca pegue com as mãos desnudas em um gato que esteja com alguma ferida aparente ou com algum “inchaço” no focinho e eliminando sangue através de espirros (epistaxe)!

Isso é muito importante para evitar que se contraia a doença. E se for realmente necessário ter que segurar o gato, procure sempre ajuda de alguém que possua habilidade para conter o bichinho.

– se o seu pet, aparecer com alguma ferida suspeita, leve-o o quanto antes ao veterinário de sua confiança!

Apenas o médico veterinário será capaz de dar o diagnóstico e todos os esclarecimentos necessários.

A Esporotricose tem tratamento, por isso, nunca abandone seu animalzinho na rua se ele for um possível suspeito. Além de crime, você estará contribuindo para que essa doença se espalhe ainda mais.


Autora do texto: Médica Veterinária Márcia Aragão Victório Montes
Fanpage: https://www.facebook.com/137.marcia.aragao.vet/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *